5 de mar de 2014

[Resenha] Starters

Editora: Novo Conceito
Autora: Lissa Price
Número de páginas: 367
Seu mundo mudou para sempre. Callie perdeu os pais quando as guerras de Esporos varreu todas as pessoas entre 20 e 60 anos. Ela e seu irmão mais novo, Tyler, estão se virando, vivendo como desabrigados com seu amigo Michael e lutando contra rebeldes que os matariam por uma bolacha. A única esperança de Callie é Prime Destinations, um lugar perturbador em Berverly Hills que abriga uma misteriosa figura conhecida como o Old Man.  Ele aluga adolescentes para alugar seus corpos aos Terminais — idosos que desejam ser jovens novamente.
Nota: 

Eu adoro essa sinopse, acho ela tão empolgante. Quem é fã de distopias, como eu, se interessa rapidinho pelo livro quando vê uma sinopse como essa. Callie é uma adolescente orfã e pobre de 16 anos que vive pelas ruas, dormindo em prédios abandonados, se escondendo de inspetores, com seu irmão mais novo, Tyler. Eles vivem em uma situação de extrema pobreza, e Tyler tem uma doença de pulmão. Callie está desesperada e precisa de dinheiro para reverter essa situação, ela quer ter uma vida digna com Tyler.

Sua única opção é a Prime Destinations, uma empresa onde você ''doa'' o seu corpo por um tempo, para que algum idoso possa alugá-lo e possa ser ''jovem novamente''. Super aterrorizante. O nome dado à pessoa que doa seu corpo durante esse tempo (geralmente algumas semanas), é ''doador'' (no caso, a Callie), e o nome do idoso que ocupará o corpo nesse tempo, é inquilino. O adolescente doador do corpo fica sedado durante o tempo que o inquilino tomará seu corpo, o doador não sente nada, é como se ele ficasse dormindo. Callie só quer fazer isso porque quem doa o seu corpo, ganha uma grande quantidade de dinheiro e essa é a sua única salvação. Mas não é tão simples assim. Ao decorrer do livro, Callie descobre que ainda há muita coisa por trás disso.

No cenário onde Callie vive, há muita desigualdade. Os ricos são extremamente ricos e são idosos, já que não existem mais adultos (houve a tal guerras de Esporos, onde crianças e idosos foram vacinados primeiro e os adultos acabaram sendo contaminados e mortos). E há muitas crianças pobres e orfãs pelas ruas.

Confesso que nenhum personagem me ganhou muito. Achei que eles não foram tão explorados e só fui começar a gostar de Callie lá pro final do livro. Não que ela seja chata, ela é corajosa, forte, e faz de tudo pelo seu irmão. Mas como eu falei, nenhum personagem me ganhou muito, não sei exatamente o que foi. Acho que é pelo fato de que eu gosto de personagens diferentes, engraçados, com hábitos interessantes. Não encontrei muito disso em nenhum personagem, mas Tyler é uma gracinha.

O livro se desenvolve bem rápido, às vezes até demais. A história em si é MUITO boa, mas teve alguma coisa no livro (que ainda não consegui identificar) que não gostei. Não sei se eram os personagens em si que fizeram com que o livro não ficasse tão interessante, realmente não sei. Mas é uma boa distopia, recomendo para quem gosta, porque tem tudo aquilo que toda distopia tem: ação, adrenalina, romance.

Nenhum comentário:

Postar um comentário